Filé a Wellington com molho bechamel e mostarda Dijon

0
Receita de Filé a Wellington com molho bechamel e mostarda Dijon
Receita de Filé a Wellington com molho bechamel e mostarda Dijon

Filé a Wellington com molho bechamel e mostarda Dijon, aprenda como fazer o Bife Wellington que é uma preparação de bife de filé revestido com patê (muitas vezes patê de foie gras) e duxelles, que é então envolto em massa folhada e assado.

Algumas receitas incluem envolver a carne revestida em um crepe para reter a umidade e impedir que ele faça uma massa encharcada.

Todo o filé pode ser embrulhado e assado, e depois fatiado para servir, ou o filé pode ser cortado em porções individuais antes de acondicionado e cozido.

Muitas especiarias podem ser adicionadas para melhorar o sabor, alguns exemplos são o caril, pimenta da Jamaica, qualquer mistura para grelhar ou gengibre.

Filé a Wellington com molho bechamel e mostarda Dijon

Ingredientes para o filé:

  • 1 Filé limpo e sem aparas, só o corpo do filé (guarde o cordão e a cabeça para fazer um strogonoff e um picadinho)
  • 1 Massa pronta de folheado (vou por a foto só para vocês terem um ideia, mas pode ser qualquer uma)
  • 2 Gemas de ovo
  • Fatias de bacon, suficiente para envolver os pedaços dos filés.
  • Pimenta preta e sal a gosto
  • Farinha de trigo para polvilhar
  • Pincel de silicone para comida

Ingredientes do molho bechamel (molho branco)

  • 1 Cebola grande ou 2 médias.
  • 2 Colheres de sopa cheia de manteiga (Sem sal de preferencia)
  • 1 Colher de sopa cheia de farinha de trigo.
  • 2 Colheres de sopa cheia de azeite de oliva.
  • 1/2 Caixinha de creme de leite.
  • 1/2 litro de leite integral.
  • 1 Colher de chá de noz moscada ralada.
  • 1 Colher de chá de orégano.
  • 1/2 Pote de requeijão cremoso.
  • 1 Tablete de caldo de frango ou carne e consertar o sal, cuidado em, sal mata, é veneno!!!
  • 2 Colheres de sopa cheia de mostarda dijon.

Modo de preparo do filé:

1ª – Pegue o filé, já limpo e tratado, e corte em tornedor, mais ou menos de 2 a 3 dedos de espessura, se não sabe como é, dê uma olhadinha aqui. Tem pessoas que preferem fazer essa receita com o filé inteiro, eu acho mais bonito para apresentação e melhor para comer quando se divide os pedaços.

2ª – Tempere com a pimenta preta e reserve.

3ª – Pegue uma frigideira ou wok antiaderente, deixe esquentar bastante, sem oléo nem nada e quando chegar ao ponto de começar a sair fumaça pegue o filé com um pegador e sele os lados e as laterais por mais ou menos 1 minuto, jogue o sal nesse momento, quando virar o filé para selar o outro lado e as laterais não ficar pressionando nem selando novamente o que já feito. Selar é o ato de fechar os poros do filé para que o sugo permaneça dentro e não saia fazendo com que a carne fique dura e desidratada.

4ª – Pegue uma bandeja ou refratário aberto e com espaço para ir armazenando os filé já selados, com o tempo eles vão soltar o sangue, descarte o sangue para o filé não ficar muito molhado, isso ira dificultar na montagem da massa.

5ª – Em uma superfície, pode ser a mesa ou pia de pedra, polvilhe a farinha de trigo e abra a massa pronta de folhada com um rolo, não deixar nem muito fina nem muito grossa, faça pequenos quadrados que caiba o filé dentro sem rasgar a massa e que fecha completamente o filé em seu interior.

6ª – Pegue o filé, envolva na fatia de bacon, pode ser uma por filé ou mais, fica a sua escolha, coloque ele no meio da massa e junte as pontas fazendo tipo uma trouxinha, pincele com a gema e leve ao forno em uma assadeira antiaderente ou untada com manteiga e farinha, em forno médio a baixo pré aquecido por 20 a 25 minutos ou até dourar. Nesse meio tempo vamos adiantar o molho.

Modo de preparo do molho:

1ª – Pegue as cebolas, descasque, lave bem e rale fino para ficar bem pastosas.

2ª – Colocar em uma panela com as colheres de manteiga, o azeite e deixe fritar até evaporar a água da cebola e começar a ficar transparente.

3ª – Pegue a farinha de trigo peneire e jogue mexendo rapidamente na cebola, ele não ira engrossar agora, deixe fritar, isso mesmo fritar, até começar a ficar dourado e subir um cheiro agradável de farinha frita, não deixe dourar demais nem ficar muito escuro por quê se não o molho vai ficar com gosto de farinha queimada e rançoso.

4ª – Quando chegar nesse ponto jogar o leite rapidamente mexendo para não empelotar, jogar todo o leite de vez e o resto dos ingredientes, o requeijão, a noz moscada, o orégano e o tablete de caldo, depois conserte o sal se houver necessidade.

5ª – Desligar o fogo e jogue a caixinha de creme de leite e as colheres de mostarda Dijon.

Finalização:

Tire os filés do forno, já com a aparecia dourada e monte em um prato colocando o molho por cima e servindo junto com uma salada ou algo leve.

Filé a Wellington com molho bechamel e mostarda Dijon

A origem do nome é incerta. Existem teorias que sugerem que o bife Azure tem o nome de Arthur Wellesley, 1.º Duque de Wellington . Algumas teorias vão um passo além e sugerem que isso foi devido ao seu amor por um prato de carne, trufas, cogumelos, vinho da Madeira e patê cozido em massa, mas há uma falta notável de provas que sustentam esta teoria. Além da escassez de evidências anexando este prato ao famoso Duque, a mais antiga receita registrada carregando este nome apareceu em um livro de receitas de 1966. Outras contas simplesmente creditam o nome de um chef patriótico querendo dar um nome em inglês para uma variação do francês filet de boeuf en croûte durante as Guerras Napoleônicas. Ainda uma outra teoria é que o prato não tem o nome do próprio Duque, mas sim que a articulação final foi pensada para se parecer com uma das brilhantes botas militares que foram nomeadas para ele.

Gostou? Curta nossa Página no Facebook e no G+ Assim você não perde nossas novas receitas e dicas, compartilhe para que mais pessoas possam conhecer essa receita.

[Total: 3    Média: 5/5]

Deixe seu Comentário...